Justiça do PA decreta prisão de 23 policiais por tráfico

A Justiça do Pará decretou a prisão temporária de 18 policiais militares e 5 policiais civis que integravam uma quadrilha envolvida com o tráfico de drogas em Marabá e Jacundá, no sudeste do Estado, como um desdobramento da Operação Navalha na Carne. A maioria dos acusados se apresentou espontaneamente e já está recolhida na Penitenciária Anastácio das Neves, em Americano, a 45 quilômetros de Belém. Um militar ainda está foragido. O Tribunal de Justiça informou que os policiais foram presos porque a permanência deles na atividade dificultaria a "correta apuração dos crimes praticados". Também estariam em "posição de fácil destruição de provas". "Os depoimentos dessas testemunhas são importantes e a população não pode se sentir intimidada", afirma o TJ, no despacho em que justifica as detenções.A Operação Navalha na Carne teve início há um ano e investigou agentes do Estado envolvidos com o crime organizado e grupos de extermínio. Somente em Belém 32 mandados de prisão foram expedidos, resultando também na apreensão de armas, granadas e munição. Os policiais presos no ano passado teriam matado 50 pessoas na periferia de Belém. Os mortos, segundo os policiais, seriam bandidos. Entre os presos havia um oficial da corporação. Ele era dono de três casas de jogos de azar, fechadas durante a operação. A quadrilha também teria passado a eliminar pessoas conforme a conveniência de quem encomendava o serviço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.