Justiça do Rio condena PM e bombeiro por tortura

Dupla integrava grupo paramilitar conhecido como 'Milícia Chico Bala' e violentava moradores da cidade

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

19 Novembro 2009 | 14h54

A Justiça fluminense condenou um policial militar e um sargento do Corpo de Bombeiros a 16 anos e 3 meses e 15 anos de reclusão, respectivamente, pelo crime de tortura. O PM Sidney da Silva Avelar Junior e o bombeiro Rivelino Terra de Mello integravam o grupo paramilitar conhecido como "Milícia Chico Bala."

 

Segundo os autos, a dupla foi extremamente violenta com dois moradores da cidade, em maio de 2005, para que eles confessassem que faziam uso de entorpecentes.

 

Além de usar violência física e graves ameaças, a dupla exigiu que cada uma das vítimas desse R$ 5 mil. Diante da recusa para pagar a quantia, as vítimas foram levadas para a delegacia e autuadas por tráfico de drogas.

 

O juiz Vítor Moreira Lima, da 2ª Vara de São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, classificou a conduta dos réus como "a pior possível". Além da condenação, Avelar e Mello perderam seus cargos públicos.

Mais conteúdo sobre:
Rio violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.