Justiça do Rio decreta prisão de oito PMs envolvidos em morte de jovem

Crime aconteceu no bairro Brás de Pina, subúrbio da capital, em maio de 2009; vítima foi baleada

Priscila Trindade, da Central de Notícias

28 de maio de 2010 | 19h58

SÃO PAULO - A Justiça do Rio decretou na quinta-feira, 27, a prisão preventiva dos oito policiais militares acusados de envolvimento na morte de Maxwil de Souza dos Santos, de 21 anos, e da tentativa de homicídio de Mauro Tibúrcio, em maio de 2009. O crime aconteceu no bairro de Brás de Pina, no subúrbio da cidade.

 

Veja também:

linkEm SP, policiais acusados de matar motoboy são soltos 

 

Na decisão, o juiz Fábio Uchôa, da 4ª Vara Criminal da capital, informou que a liberdade dos acusados poderia atrapalhar o andamento do processo. "Em liberdade, os réus poderão tentar prejudicar a colheita da prova, mesmo porque o Ministério Público informa que os acusados possuem comportamento tendente a intimidar as testemunhas e a prejudicar a apuração da verdade real", afirmou o magistrado.

 

Mauro contou que pilotava uma moto, acompanhado de Maxwil, quando os PMs do 16º Batalhão de Olaria passaram a perseguí-los. Os agentes dispararam contra os dois. Mauro conseguiu fugir, mas Maxwil foi atingido por dois tiros nas costas e não resistiu aos ferimentos.

 

Segundo os policiais, eles foram até o local verificar uma denúncia de que acontecia um baile funk, mas até o momento, não foi comprovada nenhuma relação das vítimas com o evento.

 

Os PMs envolvidos no caso são: Sérgio Fernandes de Moraes, Marcelo Sales de Oliveira, Rosemberg Ferreira de Miranda, Robert Nogueira Almeida, Maxwell Martins e Silva, Waltencir Machado Baptista, Vanilson Castella Júnior e Fábio Costa da Silva.

Tudo o que sabemos sobre:
RioPMs

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.