Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Justiça do Rio nega habeas corpus a bombeiro preso

Apenas um dos 439 homens entrou com pedido; manifestações de apoio à greve crescem

Carolina Spillari e Tiago Rogero, Estadão.com.br

07 de junho de 2011 | 19h01

RIO - Apenas um dos 439 bombeiros presos no Rio após invasão do quartel central da corporação pediu habeas corpus. A solicitação foi negada, informou nesta terça-feira, 7, o Tribunal de Justiça do Estado (TJ-RJ). A decisão foi da juíza Maria Izabel Pena Pieranti, do Tribunal de Justiça do Rio.

 

Enquanto os bombeiros continuam presos, manifestações de apoio à greve dos militares vão se multiplicando pelo Rio e as redes sociais. Políticos de todo o Brasil também têm comparecido à escadaria da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), onde manifestantes acampam desde domingo, 5, para se mostrarem simpáticos à causa.

 

No Grupamento Especial Prisional (GEP) dos Bombeiros, em São Cristóvão, na zona sul do Rio, oito líderes do movimento que estão isolados dos demais presos foram visitados por sete parlamentares, entre eles o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e o deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ).

 

Representantes de sindicatos de outros Estados brasileiros também exibem suas faixas na escadaria da Alerj. Segundo o vice-presidente do sindicato dos Metroviários de São Paulo, Sérgio Renato Magalhães, um milhão de fitas vermelhas, distribuídas na cidade em busca do apoio da população, também serão entregues na próxima sexta-feira, 10, para os usuários do Metrô da capital paulista.

Tudo o que sabemos sobre:
bombeirosRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.