Justiça do Rio nega habeas corpus a pastor preso por estupro

Marcos Pereira da Silva, de 56 anos, é acusado de estuprar fiéis de sua igreja e de coação no curso do processo

Marcelo Gomes, O Estado de S. Paulo

28 Maio 2013 | 09h42

RIO - O juiz da 1ª Vara Criminal de São João de Meriti, Richard Robert Fairclough, indeferiu, na segunda-feira, 27, o pedido de liberdade provisória feito pela defesa do pastor evangélico Marcos Pereira da Silva, da Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD). O religioso, de 56 anos, está preso desde o dia 7 deste mês, acusado por dois crimes de estupro (contra fiéis de sua igreja) e coação no curso do processo (por ter ameaçado uma testemunha que depôs contra ele). A defesa do pastor diz que ele é alvo de perseguição religiosa.

O magistrado concluiu que os motivos que levaram à decretação da prisão preventiva continuam inalterados. A decisão rechaçou ainda os argumentos da defesa de que faltaria legitimidade ao Ministério Público Estadual para propor a ação penal. Também concluiu não haver qualquer irregularidade nos atos praticados durante a investigação policial.

As denúncias do Ministério Público contra o pastor foram distribuídas para a 1ª e a 2ª Varas Criminais de São João de Meriti, cidade da Baixada Fluminense onde fica a sede da ADUD. O religioso teve a prisão preventiva decretada pelos dois juízos: no dia 2 de maio, pela 2ª Vara Criminal, e, no dia 8 de maio, pela 1ª Vara Criminal.

No último dia 9, a 3ª e a 8ª Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio negaram liminarmente dois pedidos de habeas corpus impetrados em favor do pastor Marcos Pereira da Silva. Caberá aos colegiados das duas câmaras julgar o mérito dos habeas corpus, em data ainda não estipulada.

Segundo as denúncias, o réu é pessoa de alta periculosidade e ameaça direta e indiretamente as pessoas que o contrariam. Ainda de acordo com o MP, o pastor utiliza-se de sua autoridade religiosa para amedrontar e aterrorizar suas vítimas.

O religioso ainda é investigado em outro inquérito da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) da Polícia Civil pelos crimes de associação para o tráfico, lavagem de dinheiro e quatro homicídios. Marcos Pereira nega todas as acusações.

Comparado a Jesus. Após a prisão do pastor, o site da igreja publicou uma nota, com o título "Contra a injustiça". Na nota, Marcos Pereira é comparado a Jesus Cristo e outros profetas. "A Bíblia ensina que não há evangelho sem perseguição. Daniel, Paulo, Pedro, Thiago, João Batista, o próprio Jesus e outros profetas foram presos, caluniados, não tiveram chance de uma ampla defesa sendo condenados por poderosos perseguidores políticos. (...) Foi através de uma prisão injusta que Deus colocou o plano de salvação, pelo amor e pelo perdão, em prática. Foi através de uma prisão injusta que a mensagem do cristianismo se espalhou pelo mundo".

O site da ADUD também traz detalhes sobre sua doutrina. Os fiéis são proibidos, por exemplo, de ler jornais e revistas e de assistir televisão. "Sabemos que hoje a televisão é um dos maiores meios de comunicação que temos, porém destrói vidas, tanto crentes quanto não crentes. Pois vemos que através dela somos cercados de mentiras e heresias, por exemplo: ela ensina o casal a trair, os jovens a se viciarem, as crianças a serem desobedientes a seus pais, ao adolescente achar que já é dono de seu nariz, ao homem seguir após outros deuses e não ao verdadeiro Deus, ao homem e a mulher trocarem de sexo, o desejo e ação de matar e a homens corretos serem corruptos".

Os seguidores da igreja também não devem comer carne de porco, beber Coca-Cola, ter plantas ou criar animais em casa, bem como usar vermelho e preto: "essas são cores usadas para identificação satânicas".

As mulheres não devem cortar o cabelo, nem usar perfumes ou maquiagens. Também são proibidas de usar métodos anticoncepcionais: "A limpeza vem de Deus, temos que zelar por ela, em nossas vidas, na igreja, em casa, com os filhos e marido, em todos os lugares. É necessário manter o corpo limpo e sem mau cheiro, cabelos penteados, dentes escovados, roupas limpas e passadas, calçados limpos, mostrando a verdadeira imagem e semelhança de Deus. (A falta de higiene é do diabo)".

Já os homens devem trajar "calças compridas, camisas sociais de mangas longas, camisetas por debaixo da camisa social". Durante os cultos, apenas terno completo com gravata. "O homem de Deus deve mostrar seu corpo somente para sua esposa. Sempre excluindo as cores pretas e vermelhas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.