Justiça do Rio nega novo habeas corpus a pastor acusado de estupro

Marcos Pereira da Silva, de 56 anos, está preso desde 7 de maio sob suspeita de estuprar duas fiéis de sua igreja

Marcelo Gomes, O Estado de S. Paulo

04 Julho 2013 | 10h04

RIO - O desembargador Gilmar Augusto Teixeira, da 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), negou nessa quarta-feira, 3, novo pedido de habeas corpus em favor do pastor Marcos Pereira da Silva, de 56 anos, líder da Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD).

A defesa pretendia revogar o recebimento da denúncia ajuizada na 2ª Vara Criminal de São João de Meriti, na qual ele é acusado de estuprar uma seguidora da igreja.

Na decisão, o desembargador assinala que "a nova ação é manifestamente improcedente". E lembra que, em 5 de junho, a 8ª Câmara Criminal negou, por unanimidade, um habeas corpus idêntico. Segundo o relator, o novo pedido não tem outro condão senão o de afrontar a coisa julgada material.

O pastor está preso desde 7 de maio, acusado de estuprar duas fiéis de sua igreja. Os processos tramitam na 1ª e 2ª Varas Criminais de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, cidade onde fica a sede da ADUD.

Mais conteúdo sobre:
Pastor Marcos Pereira da Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.