Justiça extingue ação de indenização contra Pimenta Neves

O juiz Marcos Gozzo, da 39ª Vara Cível de São Paulo, extingiu a ação de indenização proposta pelos pais da jornalista Sandra Gomide, assassinada pelo ex-diretor de redação do jornal O Estado de S.Paulo, Pimenta Neves, em agosto de 2000. Segundo o juiz, João Florentino Gomide e a esposa, Leonilda Pazian Florentino, não conseguiram pagar o custo do processo, de R$ 3 mil, equivalente a 1% de R$ 300 mil, valor da indenização pedida pelo casal.Com isso, o juiz cassou a liminar anteriormente concedida que colocava em indisponibilidade o patrimônio de Pimenta, como garantia de execução da sentença, caso a ação fosse julgada procedente. Gozzo condenou ainda os autores a pagar as custas do processo e os honorários dos advogados, arbitrado em R$ 3.500,00.O juiz argumenta que, quando a ação foi ajuizada, os pais de Sandra pediram uma indenização de R$ 50 mil. Na contestação, porém, a elevaram o valor para R$ 300 mil. Guzzo, então, determinou que o casal pagasse o custo do processo em cinco dias. A decisão foi confirmada pelo Tribunal de Justiça, para que pagassem a diferença em 48 horas, o que eles não cumpriram. O juiz acrescentou ainda que os pais de Sandra em momento algum requereram os benefícios da Justiça gratuita. Assim, se abriram mão do exercício dessa faculdade que lhes é outorgada pela lei, e o fizeram espontaneamente, tinham a obrigação de arcar com os custos do processo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.