Justiça manda pagar vítimas da Gameleira. 33 anos depois

Trinta e três anos depois de o desabamento de uma laje durante as obras de construção do Parque deExposição da Gameleira, na região oeste de Belo Horizonte, provocar a morte de 65 pessoas, a Justiça de Minas condenou umaempresa de engenharia e o governo do Estado a indenizar parentes e vítimas da tragédia. A sentença do juiz José Afrânio Vilela,da 5ª Vara de Fazenda Pública e Autarquias, responsabilizou o Estado, a extinta Companhia de Desenvolvimento Urbano(Codeurb) de Minas, e a empresa Serviços de Engenharia S/A (Sergen), responsável pela obra, a pagar R$ 5,6 milhões a 23familiares das vítimas e a sete operários que sobreviveram ao acidente. A decisão foi publicada ontem (05) no Minas Gerais,diário oficial do Estado, mas, como é de primeira instância, ainda cabe recurso. Para cada um dos sete operários, que ficaram inválidos, o valor da indenização foi fixado em R$ 150 mil. O juiz levou emconsideração a ?dor moral? pela perda de um familiar e estendeu o direito de receber a indenização aos filhos, irmãos e pais dosmortos no soterramento. De acordo com a sentença, cada família receberá R$ 200 mil, além de uma pensão mensalcorrespondente ao salário que cada trabalhador recebia na época, mais 13º, até quando eles completariam 65 anos de idade. Segundo Vilela, a demora pela divulgação da sentença se deve à burocracia da legislação processual brasileira e ao fatode muitas vítimas que sofreram ferimentos não terem comparecido aos julgamentos e perícias médicas. O processo foi distribuídono Fórum Lafayette em dezembro de 1984. De acordo com a assessoria de imprensa do Fórum, algumas famílias não entraramcom ações e 35 pessoas tiveram o pedido negado.No dia 04 de fevereiro de 1971, pouco antes do meio-dia, foi retirada a última escora da laje da cobertura do pavilhão. Osoperários cumpriam o horário de almoço quando a laje, que pesava aproximadamente 10 mil toneladas, desabou. Além dos 65mortos, outras 80 pessoas ficaram feridas no acidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.