Justiça manda prender 4 PMs por execuções

A Polícia Civil procura o sargento da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) Ailton Rodrigues Machado, de 33 anos. Ele e outros três PMs do 37º Batalhão tiveram ontem a prisão temporária de 30 dias decretada pela Justiça. Com isso, sobe para 15 o número de policiais militares acusados de matar e decapitar pelo menos quatro rapazes em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo. O grupo de extermínio também é suspeito de participar de uma chacina com cinco mortos, em 24 de setembro de 2008, na zona sul da capital.Além de Rodrigues tiveram a prisão decretada o tenente Adilson Moreira de Souza, de 45 anos, o sargento Rocisnaldo Cegatte, de 38, e o soldado Adilson Santos de Andrade, de 40. Os três estão recolhidos no Presídio Militar Romão Gomes. Rodrigues, que teria entrado de férias ontem, está foragido.A Justiça decretou as prisões com base no depoimento de uma testemunha ouvida anteontem pelo delegado Pedro Arnaldo Buk Forli, da Seccional de Taboão da Serra. A testemunha, cujo nome é preservado, também é PM e acusou Cegatte, Adilson, Rodrigues e Moreira de envolvimento no assassinato do portador de deficiência mental Antonio Carlos da Silva Alves, de 31 anos, decapitado em 9 de outubro.Segundo a testemunha, Cegatte exercia liderança sobre o grupo de extermínio e emprestou seu carro para transportar a vítima. O tenente Moreira foi apontado como matador e teria praticado outro crime com o soldado Rodolfo da Silva Vieira, de 27 anos, um dos assassinos do deficiente. O soldado Adilson Andrade foi acusado de ser participante ativo do grupo e era motorista de Moreira. Já o sargento Rodrigues foi acusado de ser o mentor do grupo de extermínio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.