Justiça manda prender acusados de matar sindicalista

Os irmãos Juvenal Oliveira e Antonio Oliveira, proprietários do hotel Parazinho, em Castelo dos Sonhos, no sudoeste do Pará, tiveram a prisão preventiva decretada pela juíza da comarca de Altamira, Márcia Murrieta. Recolhidos à cadeia de Altamira, eles são acusados de participar do assassinato do sindicalista Bartolomeu Silva, o Brasília, no último dia 21. A vítima foi seqüestrada, torturada e morta com 11 tiros na cabeça. Depois, o corpo foi atirado às margens da rodovia Santarém-Cuiabá. Segundo Murrieta, há indícios suficientes de autoria do crime para a decretação da prisão. Os Oliveira negam o crime, mas são desmentidos pelas testemunhas arroladas no inquérito policial. No dia em que desapareceu de Castelo dos Sonhos, Silva foi visto na garupa da motocicleta de Antonio, seguido por Juvenal, que ia em outra moto. O ouvidor Agrário Nacional, Gersino Silva, esteve ontem em Castelos dos Sonhos, onde se reuniu com trabalhadores rurais, Polícia Militar e Polícia Civil. O ouvidor pediu a entrada da Polícia Federal nas investigações, para descobrir o mandante do assassinato. O pedido foi aceito pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos, mas depende agora de uma ordem do Ministério da Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.