Justiça manda prender prefeito e vice no sul do Pará

A desembargadora do Tribunal de Justiça do Pará, Terezinha Fonseca, decretou hoje a prisão preventiva do prefeito de Tucumã, no sul do Pará, Celso Lopes Cardoso e seu vice, Aparecido Rodrigues, ambos do PMDB, acusados de encomendar a morte do vereador Adão Lote de Souza (PSB), assassinado no dia 13 de maio deste ano com vários tiros na cabeça por dois pistoleiros quando tomava banho em sua casa.A vítima era ferrenho opositor de Lopes e Rodrigues e na véspera do crime havia prometido denunciar no Tribunal de Contas novas irregularidades na prefeitura. Antes, vinha denunciando na Câmara as ameaças de morte que dizia sofrer do prefeito. A polícia está à procura de Lopes, que estaria em Belém. Após o crime, autoridades que investigavam o caso e o próprio juiz da comarca, Flávio Sanches Leão, passaram a receber ameaças anônimas de morte. O prefeito, que é aliado político do deputado federal Jader Barbalho (PMDB), alega estar sofrendo perseguição de adversários de olho na próxima eleição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.