Reprodução
Reprodução

Justiça nega apelação de ex-procuradora que torturou criança no Rio

Vera Lúcia foi condenada a 8 anos de prisão; defesa tentava anular julgamento ou diminuir pena

Priscila Trindade, Central de Notícias

20 Outubro 2010 | 12h24

SÃO PAULO - A 4.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio negou na terça-feira, 19, por dois votos a um, o pedido de apelação feito pela defesa da procuradora aposentada Vera Lúcia de Sant'Anna Gomes. Ela foi condenada pelo juiz Mario Henrique Mazza, da 32ª Vara Criminal do Rio, a oito anos e dois meses de prisão em regime fechado por torturar uma menina de dois anos que estava sob sua guarda provisória.

 

A defesa da procuradora pedia na apelação que o julgamento por maus tratos fosse anulado, por incompetência de juízo, ou desclassificado. O desembargador Francisco José de Asevedo votou a favor do cancelamento e concedeu liminar. A relatora do processo, desembargadora Gizelda Leitão Teixeira, votou contra a soltura da procuradora e foi seguida pela desembargadora Fátima Clemente. O advogado de Vera Lúcia, Jair Pereira, poderá recorrer.

 

Vera Lúcia se entregou à Justiça no dia 13 de maio e está no Presídio Nelson Hungria (Bangu 7), no complexo de Gericinó, na zona oeste do Rio. Ela estava foragida desde o dia 5 de maio, quando o juiz Guilherme Schilling decretou sua prisão preventiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.