Justiça nega habeas-corpus a acusados por roubo do BC

Dois acusados de envolvimento no furto milionário ao Banco Central de Fortaleza tiveram pedidos de habeas-corpus negados pela Justiça Federal. Deusimar Neves Queiroz, ex-vigilante apontado como repassador de informações sobre o interior do cofre do BC à quadrilha, e o paulista Marcos de França vão continuar respondendo ao processo presos juntamente com outros oito acusados. O Tribunal Regional Federal da 5ª Região, com sede em Recife, acatou por unanimidade parecer do Ministério Público Federal mantendo a prisão preventiva dos dois acusados. O furto milionário ao BC aconteceu na primeira semana de agosto do ano passado. Uma quadrilha composta por mais de 20 pessoas, segundo investigações da Polícia Federal (PF), conseguiu levar R$ 164,7 milhões do cofre do banco através de um túnel. Até agora, 22 pessoas foram denunciadas, dez das quais estão presas, três respondem em liberdade e as outras continuam foragidas. Pouco mais de R$ 18 milhões foram recuperados pela polícia. O juiz Danilo Fontenelle Sampaio, da 11ª Vara Federal, ouviu todas as testemunhas de acusação. Faltam ainda ser ouvidas as de defesa. A previsão é de que os réus presos sejam julgados até o final deste semestre.

Agencia Estado,

01 Fevereiro 2006 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.