Justiça nega pedido de seqüestrar e bloquear patrimônio dos Vedoin

O juiz da 5.ª Vara da Justiça Federal de Mato Grosso, José Pires da Cunha, rejeitou pedido do Ministério Público Federal para seqüestrar e bloquear o patrimônio da família Vedoin, acusada de chefiar a máfia dos sanguessugas, cujo império insignificante começou a ser construído em Silveira Martins (RS), a partir da década de 70. Com a venda de ambulâncias superfaturadas, porém, a Planam movimentou R$ 110 milhões nos últimos quatro anos em contratos com 600 municípios de 24 Estados.O MPF ajuizou quatro ações de improbidade administrativa contra Darci e Luiz Antônio Vedoin e deputados de Mato Grosso acusados fazer parte do esquema de fraudes na compra de ambulâncias por meio de emendas ao Orçamento da União.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.