Justiça nega pedido e empresária deve continuar presa em SP

O juiz Eduardo Francisco Marcondes,do 1.º Tribunal do Júri de São Paulo, indeferiu hoje o pedido deliberdade provisória feito pela defesa da empresária Emilie DaudSarruf, de 44 anos. Ela foi presa em flagrante, na semanapassada, sob a acusação de assassinar o marido, o comercianteSérgio Afif Sarruf, de 46 anos, com um tiro na cabeça. Sérgioera proprietário da loja Rei do Armarinho, no centro da cidade. O caso está sendo analisado pelo promotor de JustiçaMarcelo Rovere, que deverá decidir se denuncia ou não aempresária. O pedido de liberdade provisória foi feito pelaadvogada Alexandra Lebelson Szafir. Ela baseou-se no fato de,segundo a defesa, Emilie ter bons antecedentes, emprego eresidência fixos, além de não representar ameaça à ordempública. O Ministério Público Estadual foi contra o pedido. Opromotor Rovere argumentou que a acusação contra a empresária é,em tese, de um crime caracterizado pela lei como hediondo, umhomicídio qualificado. Ele também afirmou que a acusada tentouesconder a arma do crime e outros objetos relacionados aohomicídio, o que demonstraria sua intenção de, em liberdade,prejudicar a instrução do processo. Emilie foi presa tentandoesconder em uma cama uma sacola com um revólver calibre 38,luvas, calmantes e veneno para ratos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.