Justiça ouve controladores de vôo do dia do acidente da Gol

Na segunda-feira, os pilotos do jato Legacy deveriam ter participado de audiência mas não compareceram

Nelson Francisco, especial para o Estadão,

28 Agosto 2007 | 17h25

O juiz federal Murilo Mendes começou a ouvir na tarde desta terça-feira, 28, em Sinop (MT) os depoimentos dos quatro controladores de vôo do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta 1) de Brasília. Eles estavam de plantão dia 29 de setembro do ano passado, quando ocorreu o choque entre o jato Legacy e avião da Gol, matando 154 pessoas.   Após a leitura do processo e a acusação do Ministério Público, o primeiro a ser interrogado pelo o juiz foi o sargento da Aeronáutica Felipe Santos dos Reis. Em seguida será a vez de Jomarcelo Fernandes dos Santos, Lucivando Tibúrcio de Alencar, Leandro José Santos de Barros. Não há previsão para o término dos depoimentos e encerramento da audiência.   Com base no inquérito da Polícia Federal e da CPI da Crise Aérea, o Ministério Público sustenta que o plano de vôo do Legacy previa duas mudanças de altitude no trajeto de São José dos Campos até Manaus (AM). Os controladores de vôo chegaram no aeroporto de Sinop às 7h30, acompanhados dos advogados Fábio Tomás de Souza e Normando Augusto Cavalcanti Júnior, num avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Do aeroporto, seguiram para a unidade do Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam). No começo da tarde se dirigiram à Câmara de Vereadores, onde ocorre o interrogatório.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.