Justiça pede prisão preventiva de criminoso que atirou contra PMs em Búzios

Outro suspeito teve a prisão em flagrante convertida em preventiva

Solange Spigliatti , estadão.com.br

15 Setembro 2011 | 08h11

SÃO PAULO - A Justiça do Rio pediu a prisão preventiva de um dos criminosos que atiraram contra um Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Manguinhos, em Búzios, na madrugada de quarta-feira.

 

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por intermédio da 1ª Promotoria de Justiça de Armação dos Búzios, obteve a prisão preventiva de Diego Gonçalves Busquet e a conversão da prisão em flagrante de Raphael de Souza Guimarães em preventiva.

 

Os dois atiraram de dentro de um veículo contra os Policiais Militares que estavam no interior do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) de Manguinhos.

 

Cerca de uma hora após o atentado, Raphael foi preso em flagrante ao voltar ao local do crime, porque seu veículo foi reconhecido no cerco montado pela polícia. Dentro do carro, foram encontradas cápsulas das munições utilizadas no ataque ao DPO.

 

De acordo com o inquérito policial, os criminosos queriam vingar a morte de Brendo de Souza Pereira, morto no dia anterior em confronto com os PMS no bairro de Tartaruga. Brendo era apontado como o líder do tráfico no bairro de Cem Braças, em Búzios, que agora fica sem comando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.