Justiça proíbe uso de máscaras no carnaval de cidade da PB após estupros

Pedido foi feito pelo MP depois que 6 mulheres foram 'dadas de presente' para serem estupradas em festa

Priscila Trindade, do estadão.com.br, texto atualizado às 18h35

14 Fevereiro 2012 | 17h18

SÃO PAULO - A Justiça da Paraíba proibiu nesta terça-feira, 14, o uso e a venda de máscaras durante o período de carnaval no município de Queimadas, no Agreste do Estado. Quem descumprir e medida pode ser detido por desobediência. A proibição foi requerida pelo Ministério Público por causa de um estupro coletivo em uma festa de aniversário na cidade no domingo.

Os agressores usaram capuzes para não serem identificados pelas vítimas, por isso, a determinação, que já está em vigor, autoriza o apenas uso de fantasias que não escondam os rostos. Dez homens, incluindo três adolescentes, foram presos por envolvimento no estupro das seis mulheres - umas delas só foi identificada nesta terça-feira, 14. Duas delas morreram.

Vítimas. As duas mulheres mortas - a recepcionista Michele Domingos da Silva, de 26 anos, e a professora Isabela Pajussara Frazão Monteiro, de 28,- eram amigas dos organizadores da festa. Elas foram assassinadas porque identificaram os suspeitos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.