Justiça recebe denúncia contra acusado de matar casal Staheli

A Justiça recebeu nesta terça-feira denúncia do Ministério Público contra o caseiro Jossiel Conceição dos Santos, de 20 anos, acusado de ser o assassino do casal americano Todd e Michelle Staheli, mortos em novembro. A juíza Maria Angélica Guimarães Guerra Guedes, do 4.º Tribunal do Júri, não aceitou, porém, a acusação de latrocínio (roubo seguido de morte), por entender que Santos cometeu na verdade duplo homicídio qualificado. Ela marcou o interrogatório do réu para segunda, dia em que tomará decisões sobre a prisão preventiva de Santos e o exame de sanidade mental solicitado pelos defensores.Na decisão, Maria Angélica, que já negou um pedido de prisão contra o caseiro feito pelo MP, sugeriu que a caracterização de latrocínio seria uma artimanha dos promotores com objetivo de transferir o caso do Tribunal do Júri ? onde o MP ultimamente tem tido suas súplicas negadas ? para uma Vara Criminal Comum. ?Os fatos imputados ao réu configuram prática de duplo homicídio qualificado, o que foi admitido tanto pela autoridade policial quanto pelo órgão ministerial durante todo o curso do inquérito?, afirmou a juíza na decisão.Na denúncia, a promotora Marcelle Navega afirma que, em 30 de novembro, Santos, ?livre e consciente em sua vontade?, entrou na mansão da família Staheli para roubar. Como Todd acordou, afirma a promotora, o rapaz o matou, deliberadamente, a golpes de pé-de-cabra, executando Michelle em seguida. Marcele lembra que o réu trabalhava como caseiro na casa vizinha e cometeu o crime após ter observado a rotina do casal.Santos esteve preso até a madrugada de domingo, sob a acusação de tentativa de furto numa casa no mesmo condomínio dos Staheli. Segundo o desembargador Henrique Alberto Magalhães de Almeida Neto, que acolheu pedido da Defensoria Pública e decidiu soltar Santos, a prisão preventiva para esse delito constituiu ?excessivo rigor? e não está prevista na lei brasileira.

Agencia Estado,

21 de abril de 2004 | 04h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.