Justiça reduz pena de João Arcanjo, o Comendador

O bicheiro João Arcanjo Ribeiro, de 57 anos, acusado de integrar o crime organizado em cinco Estados e chefiá-lo em Mato Grosso, obteve redução de 70% na pena por crime contra o sistema financeiro. A decisão é da 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que reduziu de 37 para 11 anos e 4 meses a primeira condenação contra o bicheiro, ocorrida em dezembro de 2003, acolhendo argumentação da defesa dos seus advogados de defesa. O Ministério Público Federal vai recorrer da decisão. De acordo com a Assessoria de Imprensa do TRF, os juízes entenderam que "deve haver a comprovação da vinculação do patrimônio ao crime, ou seja, é necessário discriminar, especificar os bens auferidos com os crimes cometidos". No entanto, de acordo com a sentença, os bens dos acusados permanecem em poder da Justiça até o julgamento do mérito. Somando as punições até o momento, o Comendador, como é conhecido em Mato Grosso, já foi condenado a 49 anos de prisão. Ele ainda responde a processos por crime organizado, formação de quadrilha, homicídios, lavagem de dinheiro, contrabando e evasão de divisas. Só na Justiça Federal ele responde a 16 processos.Nos próximos dias Arcanjo será transferido de Cuiabá para o Presídio Federal de Segurança Máxima de Catanduvas (PR). Extraditado para o Brasil em 11 de março deste ano, o ex- bicheiro estava preso no Uruguai desde abril de 2003 por falsificação de documentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.