Justiça rejeita pedido de PSDB contra Lula por uso da máquina

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou na última segunda-feira a representação da coligação PSDB-PFL, do candidato Geraldo Alckmin, contra o presidente e candidato petista à reeleição, Luiz Inácio Lula da Silva, informou o site do TSE. O PSDB acusou Lula de ter usado a máquina administrativa em benefício de sua candidatura, ao receber apoio de grupo de cantores evangélicos no Palácio da Alvorada, no dia 9 de outubro, e pediu aplicação de multa e cassação do registro ou do diploma do candidato beneficiado. O Ministério Público Eleitoral opinou pela improcedência da representação, uma vez que "o candidato à reeleição não pode controlar a repercussão do encontro com os cantores evangélicos". Os tucanos alegam que a reunião teria sido um "ato público de campanha". O TSE disse que o sistema de reeleição costuma causar "enormes controvérsias em torno dos atos praticados pelos candidatos nessa situação, em decorrência do exercício das funções governamentais", mas "é necessário conviver com essas dificuldades".Os advogados da coligação de Alckmin já recorreram da decisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.