Justiça revogou prisão de viúva de Renné Senna, diz advogado

Prisão preventiva de Adriana Ferreira Almeida, suspeita de matar vencedor da Mega-Sena, foi pedida no sábado

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

04 Novembro 2009 | 15h36

O advogado Jackson Costa Rodrigues afirmou que a Justiça fluminense revogou nesta quarta-feira, 4, a prisão preventiva de Adriana Ferreira Almeida, viúva do milionário da Mega-Sena, Renné Senna, assassinado em 2007. A petição da revogação foi feita hoje no Fórum de Rio Bonito, no Rio,e a prisão havia sido decretada no sábado, 31.

 

No sábado, a juíza Roberta dos Santos Braga Costa, da 2ª Vara de Rio Bonito, decretou que Adriana fosse detida sob a alegação de que a ré não foi localizada após a realização de várias diligências em dias e horários diferentes. Adriana é suspeita de ter planejado a morte de Renné.

 

Segundo Jackson, Adriana não irá fugir da polícia. Ele afirmou que sua cliente pode ser encontrada na fazenda herdada por Senna, na casa da mãe, em Tanguá, perto de Rio Bonito e em um apartamento.

 

CASO

 

René Senna foi assassinado com quatro tiros na cabeça após ganhar R$ 51,8 milhões na Mega-Sena. Ele foi surpreendido quando tomava cerveja dentro de um bar. Os ex-seguranças do milionário foram condenados em setembro deste ano a cumprir 18 anos de prisão.

 

Anderson Silva de Souza, de 33 anos, e Ednei Gonçalves Pereira, de 42, terão que cumprir 15 anos por homicídio e 3 anos por terem furtado dinheiro da vítima no dia do crime. O assassinato ocorreu em 7 de janeiro de 2007.

Mais conteúdo sobre:
Renné Senna Mega-Sena Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.