Justiça seqüestra bens do traficante Léo

O juiz José Godinho Filho, da 5ª Vara da Justiça Federal de Goiás, decretou o seqüestro dos bens de Leonardo Dias Mendonça, O Léo, acusado de ser um dos maiores traficantes de drogas do Brasil, e de mais quatro acusados (Vicente de Paulo Lima, Wilson Moreira Torres, Eli Tavares Lamounier e Sílvio Rodrigues) de participar de sua quadrilha. Entre os bens de Léo, que está preso em Brasília, estão imóveis, carros, gado e aviões. O pedido de seqüestro, feito pela Delegacia de Prevenção e Repressão a Narcóticos da Polícia Federal, foi feito com base no inquérito que investigou a quadrilha durante a Operação Diamante, que acarretou na prisão de 27 pessoas. De acordo com relatório da PF, os suspeitos utilizavam ?laranjas? para ocultar os verdadeiros proprietários dos bens, adquiridos com os lucros do narcotráfico. Dois aviões (um bimotor e um monomotor) de Leonardo Mendonça foram colocados à disposição da Secretaria Estadual de Segurança Pública de Goiás para uso em investigações. O pedido foi feito pelo secretário estadual de Segurança Pública, Jônathas Silva. Segundo ele, os aviões serão usados em operações policiais de emergência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.