Divulgação
Divulgação

Justiça suspende aumento da tarifa em Belo Horizonte

Medida foi tomada depois que o MP de Minas Gerais verificou erro no cálculo do reajuste; passagem de ônibus voltará a custar R$ 2,85

ALEX CAPELLA , Especial para O Estado

09 Janeiro 2015 | 20h36

BELO HORIZONTE - O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) suspendeu, nesta sexta-feira, 9, o reajuste de 8,5% no preço das passagens do transporte nas linhas suplementares na capital mineira. A medida foi tomada depois que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) verificou erro no cálculo do aumento. Os ônibus suplementares tiveram suas passagens aumentadas para R$ 3,10. Com a liminar, as empresas são obrigadas a voltar a cobrar R$ 2,85.

A cobrança do preço antigo só passará a valer após BHTrans (órgão que controla do transporte em Belo Horizonte) ser notificada, o que deve acontecer neste sábado. A liminar foi concedida pelo desembargador Elias Camilo Sobrinho, da 3ª Câmara Cível do TJMG. A justificativa do magistrado para a suspensão é de que o cálculo do reajuste compete à prefeitura e não à BHTrans. "O presidente da BHTrans não era competente para autorizar este aumento. Essa competência é do prefeito", disse.

 O reajuste no preço das passagens gerou revolta entre os usuários e uma manifestação chegou a ser marcada para esta sexta-feira, na Praça Sete, no centro da cidade. O protesto, porém, não se confirmou. Segundo a Polícia Militar, integrantes do movimento "Tarifa Zero" se concentraram na Avenida Antônio Carlos, fechando a via no sentido bairro. Eles chegaram a fechar uma das estações do Move, mas o movimento se dispersou.

Mais conteúdo sobre:
Belo Horizonte

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.