Justiça suspende nomeação de policial reprovado no psicotécnico

A Advocacia Geral da União conseguiu suspender a liminarque autorizava a nomeação e a posse de um candidato para o cargo de policial rodoviário federal reprovado no exame psicotécnico do concurso. O candidato havia conseguido uma liminar na 1ª Vara Federal de Campo Grande (MS), suspensa por um agravo de instrumento impetrado pela AGU.O relator do processo, desembargador Baptista Pereira, concordou com os argumentos da AGU de que o artigo 3º, da Lei nº 9.634/98, que criou a carreira de policial rodoviário federal, estabelece que o ingresso neste cargo será por aprovação em concurso público, em duas fases eliminatórias (a primeira de exame psicotécnico e deprovas e títulos e a segunda através de um curso de formação).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.