Justiça suspende todos os vôos da Rico

Todos os vôos da Rico Linhas Aéreas, de Manaus, estão suspensos por tempo indeterminado, por determinação da juiza substituta da Segunda Vara Federal, Rachel Soares Chiarelli. A medida, comunicada através de ofício por volta das 10 horas desta quarta-feira, atingiu a cerca de 35 municípios do Amazonas, quatro capitais da região Norte e aproximadamente 800 passageiros/dia que têm, em sua maioria, apenas esta empresa como meio de transporte aéreo.De acordo com o despacho da juíza, os vôos da Rico continuarão suspenso enquanto o Departamento de Aviação Civil (DAC) não se pronunciar oficialmente quanto à segurança das aeronaves operadas pela empresa amazonense. A decisão foi originada por uma medida liminar do Ministério Público Federal que tramita desde o acidente com o avião Brasília PT-WRO que caiu no dia 14 de maio ao se aproximar do aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus, provocando a morte de 30 passageiros e três tripulantes.A Rico Linhas Aéreas opera no transporte regular de passageiros na região Norte há sete anos. Sua frota é composta atualmente de quatro Bandeirante, dois Brasília e dois Boeing 737-200. A empresa já tinha projeto de ampliação da frota, estando com mais dois aparelhos praticamente incorporados: um Brasília para 30 passageiros e outro Boeing 737-200, com capacidade para 109 passageiros.A diretoria da empresa determinou a suspensão dos vôos assim que recebeu a notificação judicial. O vôo para Cruzeiro do Sul (AC), com escalas em Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC) estava programado para decolar de Manaus às 14 horas com 71passageiros, que foram remanejados para vôos da Vasp.

Agencia Estado,

17 de junho de 2004 | 13h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.