Justiça veta propaganda do PT com Lula e ministra

A Justiça Eleitoral ordenou ao PT paulista que tirasse do ar as inserções veiculadas na televisão desde o fim da semana passada, que têm como protagonistas o presidente Lula e a ministra Dilma Rousseff. No vídeo, Lula procura aproximar do eleitorado paulista sua pré-candidata ao Planalto. Após ela dizer que tem "muito carinho e respeito" pelo Estado, ele afirma: "Essa mineira que viveu no Rio Grande é a cara e a alma de São Paulo."

Clarissa Oliveira, O Estadao de S.Paulo

16 de março de 2010 | 00h00

A decisão foi tomada em resposta a um pedido de suspensão apresentado pelo PMDB. O mesmo pedido foi apresentado pelo PSDB. O corregedor regional eleitoral Alceu Penteado Navarro concluiu que as inserções contrariam a lei que rege a propaganda partidária. A regra proíbe expressamente a promoção de candidatos a cargos eletivos.

"Há elogios rasgados à candidata escolhida para ser a sucessora de Lula", diz o advogado do PMDB, Ricardo Vita Porto. O partido quer que o PT perca cinco vezes o tempo utilizado irregularmente na TV. Não há previsão de multa por propaganda antecipada para a eleição presidencial, o que, segundo o advogado, é de competência do TSE.

Assim que foi avisado da proibição, o PT preparou a substituição dos filmes. "O PT vai recorrer dessa decisão. Mas, para nós, a disputa eleitoral não deve ser jurídica e sim de projetos políticos", respondeu o presidente estadual do PT, Edinho Silva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.