Kamia é absolvido por unanimidade no caso da mansão

Investigado por omitir de sua prestação de contas uma mansão avaliada em R$ 2 milhões, o vereador Ushitaro Kamia (DEM) foi absolvido por unanimidade pela Corregedoria da Câmara Municipal. O relatório do colega de partido Milton Leite teve o apoio e a assinatura dos parlamentares Alfredinho (PT), Claudinho (PSDB), Ítalo Cardoso (PT), Ricardo Teixeira (PSDB) e Quito Formiga (PR). O corregedor Wadih Mutran (PP) não vota.O palacete do vereador construído na Serra da Cantareira, na zona norte, estava em nome de um cunhado, apesar de Kamia admitir a posse do imóvel. Para tentar se livrar de punições da Câmara e do Ministério Público, ele fez uma atualização na Receita Federal no final de abril e colocou o imóvel entre os seus bens declarados. "O imóvel também apareceu nas declarações do vereador de 1993. O processo foi técnico do ponto de vista de Receita, já que o vereador ratificou a declaração'', argumentou Leite.O vereador foi denunciado pelo MP por falsidade ideológica no caso da mansão. Antes das eleições de 2008, Kamia declarou possuir apenas um apartamento e três veículos, que somavam R$ 198,7 mil. O vereador não foi encontrado ontem para comentar o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.