Kassab agora estuda ampliar rodízio

Ampliar as linhas de metrô, o rodízio e a restrição a caminhões de carga no centro expandido de São Paulo. Seis dias depois de propor um pacote viário para a cidade, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) anunciou ontem mais duas medidas em estudo e uma parceria com o Estado para tentar conter o trânsito na capital paulista.O anúncio da já chamada "linha das universidades" ocorreu pela manhã, em entrevista de Kassab à Rádio Eldorado AM. Pressionado por mudanças no trânsito, após sucessivos recordes de lentidão, o prefeito ainda admitiu que já estuda aumentar em duas horas o rodízio de carros em São Paulo. Segundo ele, as análises, a cargo do secretário de Transportes, Alexandre de Moraes, foram iniciadas há uma semana e serão feitas "com muito cuidado". "É em relação à ampliação do rodízio em uma hora pela manhã e uma hora à noite."Por enquanto, a Prefeitura não pretende ampliar nem o perímetro do rodízio nem o número de placas por dia. A idéia é estender a restrição até as 11horas pela manhã; e à noite, até as 21 horas. Desde que foi criado em 1998, o rodízio vigora das 7 às 10 e das 17 às 20 horas.Segundo Alexandre de Moraes, técnicos estão fazendo simulações em todas as regiões da capital para definir se a ampliação do horário do rodízio é viável e se trará resultados concretos na redução dos congestionamentos. "Estamos fazendo uma comparação gráfica dos picos de lentidão", disse. "Não adianta restringir mais, se não houver um benefício considerável para a coletividade."Na prática, o paulistano poderá ver obras nas ruas em seis meses, segundo o governador José Serra (PSDB). Serão iniciados 2,3 quilômetros de um ramal da Linha 2, ligando a Vila Prudente à Rua do Oratório, na Mooca. Anteontem, o governador havia conversado com Kassab sobre a possibilidade de a Prefeitura investir R$ 75 milhões para o projeto executivo da Linha 6, que ligará a Freguesia do Ó à Estação São Joaquim (da Linha 1-Azul) e passará por algumas das principais faculdades de São Paulo. "Eu vejo hoje (ontem), com grata surpresa, que ele (Kassab) está topando. Essa nova linha é o que está faltando, vai completar a malha em São Paulo", disse Serra.A Linha 6 tem 9,5 quilômetros e 10 estações confirmadas: Freguesia do Ó, Água Branca, Turiaçu, PUC, Pacaembu, Angélica, Higienópolis-Mackenzie, Bexiga, 13 de Maio e São Joaquim. Outra estação, Santa Marina, não está definida. O novo trecho também cruzará a Linha A da CPTM e a Linha 4-Amarela do Metrô. A estimativa é de que 500 mil passageiros sejam transportados na Linha 6 quando ela for concluída, em 2012.LENTIDÃOCom o aumento da frota, que ultrapassou, em fevereiro a marca de 6 milhões de veículos, e a falta de investimentos em transporte público, o rodízio perdeu eficácia nos últimos dez anos. No ano passado, a lentidão no horário do rush ultrapassou os níveis de congestionamento do ano anterior ao rodízio. Em 1996, a média foi de 123 km, contra 128 km em 2007. Com 800 novos carros por dia nas ruas, a redução de 20% na circulação de veículos acabou sendo anulada. Ontem, pela manhã, a capital paulista registrou 146 quilômetros de lentidão, às 9 horas. À tarde, o pico foi de 120 quilômetros, às 19 horas.Mas se Kassab mudou o discurso em relação ao rodízio (veja acima), o pedágio urbano continua sendo um tabu. Ele considera a medida "socialmente incorreta". "Não podemos impor uma restrição sem dar alternativa de transporte público." CAMINHÕESOutro estudo anunciado ontem surgiu de uma reunião feita às 6 horas, entre o prefeito, o secretário de Transportes e técnicos de tráfego. A proposta em análise é a ampliação da área proibida a caminhões em São Paulo, hoje compreendida entre a Marginal do Pinheiros, a Rua Cardeal Arcoverde, a Avenida Angélica, a Rua Silva Pinto, a Rua Mauá, a Rua 25 de Março e as Avenidas Liberdade, 23 de Maio e Juscelino Kubitschek para a todo o centro expandido.Além disso, a proibição valeria das 6 às 23 horas - hoje, a restrição de carga e descarga é das 10 às 20 horas de segunda a sexta. Não se sabe se mudará o horário de sábado - das 10 às 14 horas.A alteração é vista com bons olhos pelo presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e região (Setcesp), Francisco Pelúcio. "Há três anos o sindicato defende a entrega de carga noturna. Mas as entregas poderiam começar às 21h30", sugere. COLABORARAM EDUARDO REINA, JONES ROSSI e ELIZABETH LOPESFRASESGilberto KassabPrefeito de São Paulo7/12/2007"O projeto (de aumentar o rodízio) não está em consideração pelo Executivo. É algo que mexe com grande parte da população" 5/3/2008"Nossa prioridade é tentar evitar a duplicação do rodízio ou a instalação de pedágios. Esperamos que não seja necessário (o aumento do rodízio). Não teríamos preocupação em relação à imagem. Se em algum momento for necessário, vamos aumentar o rodízio e instalar o pedágio"25/03/2008"O único estudo que existe até o momento, por parte do secretário Alexandre de Moraes (dos Transportes), e que será feito com muito cuidado, é em relação à ampliação do rodízio em uma hora pela manhã e uma hora à noite, das 7 às 11 horas e até as 21 horas"

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.