Kassab confere retirada de outdoors no Anhembi

Na manhã desta quinta-feira, o prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PFL) vai acompanhar a retirada de outdoors localizados na avenida Olavo Fontoura, em frente ao Anhembi, na zona norte da cidade. A retirada dos anúncios seria feita a partir das 9 horas, como cumprimento da Lei Cidade Limpa, que entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2006. Segundo reportagem do Estado desta quinta-feira, a São Paulo Turismo (SPTuris), empresa municipal responsável pelo Parque Anhembi, vai retirar todas as estruturas dos outdoors instaladas no complexo. Apesar de respaldada por uma liminar e uma sentença judicial em primeira instância, a LCM Mídia, que explorava comercialmente as peças publicitárias externas, fez um acordo com a direção da SPTuris. Vai trocar os 12 outdoors por peças publicitárias internas, voltadas para o público visitante do Pavilhão de Exposições do Anhembi.A LCM é associada ao Sindicato das Empresas de Publicidade Exterior (Sepex), que obteve sentença judicial prorrogando a permanência de outdoors até 31 de março. A retirada dos outdoors do Parque Anhembi, terreno da Prefeitura, era um ponto de honra para a gestão Gilberto Kassab (PFL).A Prefeitura também publica nesta quinta-feira uma nova lista com 41 anúncios irregulares que serão retirados na região da Penha, (zona leste). A gestão informa que retirou 204 peças irregulares desde o início de 2007. Lei Cidade LimpaO projeto de lei, proposto pelo prefeito Gilberto Kassab (PFL) foi aprovado no dia 26 de setembro na Câmara dos Vereadores e sancionada em outubro pelo prefeito. Conhecida como Lei Cidade Limpa, seu texto proíbe a presença de publicidade externa a partir do dia 1º de janeiro de 2007. Com a lei, as propagandas ficariam restringidas em espaços do mobiliário urbano, como pontos de ônibus, relógios públicos e placas de rua.A lei prevê pagamento de R$ 10 mil para cada propaganda irregular. A estimativa é de que na cidade existam cerca de 6 mil outdoors e 3 mil backlights. O que manda a lei Cidade Limpa: até o dia 31 de dezembro de 2006 todas as peças publicitárias externas precisariam ser retiradas da cidade. A multa para infratores é de R$ 10 mil. Prazo extra: anúncios nas fachadas de estabelecimentos comerciais devem atender às novas dimensões de propaganda até dia 31 de março de 2007.Exceções: anúncios históricos, como o relógio do banco Itaú, em cima do Conjunto Nacional, serão analisados caso a caso.

Agencia Estado,

11 de janeiro de 2007 | 09h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.