Kassab dá verba menor a 3 subprefeitos

Outros 11 terão recursos reajustados em valores menores que a inflação

Diego Zanchetta, O Estadao de S.Paulo

08 de novembro de 2008 | 00h00

Catorze das 31 subprefeituras de São Paulo poderão contar em 2009 com orçamentos reajustados abaixo do índice de inflação projetado para 2008, de 6,31% conforme o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). São verbas destinadas para ações de manutenção, incluindo recapeamento, limpeza de bueiros, conservação de galerias e córregos, pagamento de funcionários e locação de máquinas. No orçamento proposta pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM) para as subprefeituras não estão as dotações para essas regiões nas áreas de saúde, educação e transporte, entre outras.Três dessas 14 subprefeituras, todas na zona leste, apresentaram deflação na previsão orçamentária enviada ao Legislativo em setembro, em comparação com os investimentos atualizados neste ano. Por outro lado, o governo municipal colocou as regiões de Cidade Tiradentes (3º lugar) e do Itaim Paulista (11º), tradicionais redutos do PT, entre os campeões no ranking de aumento de verbas."Temos de levar em consideração que a maior parte das verbas destinadas aos bairros da periferia está prevista em outras pastas. A construção dos novos hospitais, por exemplo, não entra na rubrica das subprefeituras", argumentou ontem o secretário de Coordenação das Subprefeituras, Andrea Matarazzo, em audiência na Câmara Municipal para debater o orçamento de 2009.Ao todo, o governo municipal prevê R$ 1,175 bilhão para as subprefeituras no próximo ano, 7,33% a mais que em 2008. Com investimentos previstos para a revitalização da Nova Luz e do Parque D. Pedro II, a Sé foi a campeã no crescimento da dotação para 2009, com R$ 104,25 milhões, ante os R$ 83,212 milhões deste ano, o equivalente a um crescimento de 25,27%. Já em Ermelino Matarazzo, a deflação campeã será de -6,96%. Serão R$ 24,566 milhões em 2009, em comparação com os R$ 26,403 milhões atualizados deste ano."No geral, o aumento de 7,33% nas verbas (das subprefeituras) foi bem razoável", afirma o economista Odilon Guedes, coordenador de Orçamento da organização não-governamental (ONG) Nossa São Paulo. O economista lembra que as desigualdades, caso se leve em consideração a média per capita de verba para cada habitante, foram mantidas em relação aos últimos anos. "Um morador de Pinheiros tem verba anual de R$ 172,92. Já um morador de Capela do Socorro conta com R$ 62,29. É muita desigualdade." A variação de média per capita chega a 499% entre a Sé (R$ 311,25) e Capela do Socorro. Kassab elevou as verbas de Cidade Tiradentes em 11,99%, de R$ 21,84 milhões para R$ 24,462 milhões. Os investimentos na região são prioridade do prefeito reeleito, que venceu no segundo turno em 41 das 57 zonas eleitorais - uma das derrotas foi justamente em Cidade Tiradentes (68,82% a 31,18%). COLABORARAM RODRIGO BRANCATELLI E ROBERTO FONSECA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.