Kassab diz que reação a protesto foi ´gesto de indignação´

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PFL), voltou a falar nesta quinta-feira, 15, sobre sua reação ao protesto de um desempregado conta a lei Cidade Limpa. "Na verdade, foi um gesto de indignação", disse Kassab em entrevista à Rádio Eldorado. Kassab agrediu verbalmente o manifestante, durante uma visita a um posto de saúde na zona norte da capital. "Perdi o controle, mas não deveria", continuou o prefeito. "Por isso, pedi desculpas aos manifestantes e à cidade". Essa não foi a primeira vez que o prefeito manifestou publicamente sua irritação. No último dia 25, durante as comemorações do aniversário de São Paulo, Kassab foi vaiado por manifestantes na praça da Sé e respondeu à população gritando "São Paulo! São Paulo!". Acompanhe abaixo os principais pontos da entrevista: José Serra Ao ser questionado sobre a administração de seu antecessor e atual governador de São Paulo, José Serra, Kassab foi enfático. "Ele compôs uma equipe de excelente nível e tenho a maior responsabilidade de dar continuidade ao seu governo", disse. "Ele tem total liberdade comigo e eu, com ele". Cidade Limpa Sobre a polêmica lei que gerou protestos entre a população paulistana, Kassab voltou a dizer que as pessoas que perderam seus empregos por causa das novas regras não ficarão desempregadas. "É um mercado de trabalho muito amplo, com dezenas de oportunidades", afirmou o prefeito. Vias esburacadas Sobre os buracos em vias públicas da cidade, o prefeito explicou que "foram recapeados nesta gestão, em dois anos, mais do que nos últimos 22 anos". "E o cidadão sabe que isso é realidade, mas, infelizmente, não vamos conseguir recapear tudo". Ônibus precários Ao responder à pergunta de um ouvinte, que reclamou do grande número de ônibus que circulam pela cidade em condições precárias, Kassab explicou que "a partir de maio, haverá uma fiscalização por meio de GPS [sistema de monitoramento por satélite]". "A partir daí, será possível monitorar se o ônibus que saiu da garagem é velho", disse o prefeito. "A partir do ano que vem, não teremos mais nenhum veículo com mais de dez anos." Trânsito caótico De acordo com Kassab, o valor que a Prefeitura de São Paulo está investindo para melhorar as condições de tráfego na cidade "é muito mais do que é arrecadado com multas e taxas". "Estamos, sim, preocupados com o trânsito e gostaríamos que a arrecadação com multas fosse zero, que a população respeitasse mais as leis." Seguro enchente Quanto à viabilidade de implantar um seguro que proteja as vítimas das enchentes em São Paulo, o prefeito explicou que o projeto está sendo elaborado. "Todos aqueles que foram atingidos em 2007 serão atendidos", afirmou. "Evidentemente, serão contemplados aqueles que estiverem dentro do contexto do seguro." Vendedores ambulantes Questionado sobre os vendedores ambulantes que comercializam alimentos nas ruas da cidade, Kassab disse que eles devem ser "combatidos". Segundo o prefeito, a Prefeitura procura "combater a ilegalidade e dar apoio àqueles que trabalham dentro da lei". "As irregularidades devem ser apontadas e agradeço à população, que faz as denúncias." Possível candidatura Ao fim da entrevista, ao ser questionado sobre uma possível candidatura na próxima eleição, Kassab desconversou. "Esse é um assunto que não está em pauta", disse. "Não é certo um administrador misturar processo eleitoral com processo administrativo."

Agencia Estado,

15 Fevereiro 2007 | 13h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.