Kassab veta nome de ex-jogador para área no Morumbi

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM, ex-PFL), apesar de ser conhecido como um dos mais ilustres torcedores do São Paulo, decidiu vetar a Lei 375/2004, que determinou a denominação de Largo Gino Orlando o alargamento de ruas em frente ao Portão 6 do Estádio do Morumbi, localizado no entroncamento da Avenida Jules Rimet com a Rua Padre Lebret. Na última terça-feira, completaram-se quatro anos da morte do ex-jogador. Kassab se baseou em pareceres técnicos do Departamento de Cadastro Setorial (Case) e da Subdivisão do Cadastro de Logradouros do Departamento de Rendas Imobiliárias, que consideraram não haver no local nada mais do (DEM, ex-PFL) uma área necessária para se estabelecer a concordância das duas vias. Segundo o estudo técnico, a área é destinada ao tráfego de veículos e não existe nenhuma porção de terreno, ajardinada ou não, que possa ser utilizada com finalidade diversa. Ou seja, não pode ser definida como "largo". Segundo os órgãos, é quase impossível até mesmo um eventual emplacamento. "Não obstante o nome do homenageado atenda aos critérios legais vigentes para a denominação de logradouros públicos, sou compelido a apor veto total à propositura", afirma Kassab no veto publicado nesta quinta-feira, 26, no Diário Oficial. O centroavante Gino Orlando jogou durante dez anos pelo São Paulo, de 1953 a 1962, e marcou 232 gols pelo time tricolor, figurando como o segundo maior artilheiro do clube, atrás apenas de Serginho Chulapa, que fez 242. Quando se aposentou, foi administrador do estádio do Morumbi de 1969 até 2003, quando faleceu.

Agencia Estado,

26 Abril 2007 | 16h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.