Ladrão desiste de roubo ao ver criança no carro

Após estacionar o veículo, bandido ligou para 190 e chegou a deixar um recado ?malcriado? para o padrasto

Leandro Belles, AGÊNCIA RBS, O Estadao de S.Paulo

18 de setembro de 2008 | 00h00

"Seguinte, eu vou ser bem sincero pra ti, tá? Eu roubei um carro ali, tá, agora", diz um ladrão a um policial, por telefone. "E eu peguei o carro e tinha uma criança dentro, cara, e eu não vi." A atitude do criminoso deixou sem reação o interlocutor de farda que atendeu ao 190, em Passo Fundo, no norte do Rio Grande do Sul, na madrugada de ontem. O ladrão informava ter deixado para trás um Monza recém-furtado, após perceber que um menino de 5 anos dormia no banco traseiro. "Então tu manda uma viatura lá e manda o filho da p... do pai dele pegar ele e levar pra casa, um piazinho", ordenou o bandido.Na cidade, todos querem saber quem é o homem que desistiu de levar o Monza para preservar a criança. A delegada da 2ª Delegacia de Polícia, Cláudia Crusius, que investiga o caso, diz ainda não ter suspeitos. O episódio também resultou em outro inquérito, na Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente, para apurar a responsabilidade do casal que deixou o menino no carro, estacionado na frente de um bar, no centro da cidade. De acordo com o delegado Mário Pezzi, a mãe e o padrasto podem ser indiciados por abandono de incapaz. Nos próximos dias, ele deve ouvir outras testemunhas do caso.A mãe da criança e o padrasto foram ouvidos no Conselho Tutelar no início da tarde. O casal disse que havia parado no bar, na Avenida Brasil, a principal de Passo Fundo, às 2 horas de ontem, para entregar panfletos de um candidato a vereador para alguns amigos. Segundo o padrasto, eles teriam deixado o menino no carro porque ele dormia e não havia motivo para acordá-lo, uma vez que passariam apenas alguns minutos no local. Entretanto, momentos depois, o ladrão furtou o Monza e rodou por cerca de 500 metros, até estacionar na Rua 7 de Agosto, também no centro, em uma zona menos movimentada, quando viu o menino.A mãe não quis comentar o ocorrido, mas o padrasto se disse envergonhado. "A gente deixou as portas destravadas e o vidro ficou com uma fresta aberta. Se ele acordasse, poderia sair. Foi uma vacilada." A família prometeu dar atenção máxima ao garoto, depois do susto.Depois de estacionar, o ladrão abandonou o veículo e caminhou até um telefone público a 100 metros do automóvel. Ele ligou para o 190 da Brigada Militar, avisou a polícia e informou onde havia deixado o carro. Com a indicação do criminoso, policiais foram até o local e encontraram o menino no Monza. Eles acordaram o garoto e foram até o bar onde estavam a mãe e o padrasto da criança. BOM SENSOTodos foram para a delegacia. " Criança não pode ficar sozinha nunca. Não existe justificativa para isso", disse Tereza Cappellesso, conselheira tutelar substituta. Ela disse que o menino não pareceu assustado em momento nenhum. A delegada Cláudia já adiantou sua provável atitude caso identifique o ladrão. "Não vou pedir prisão. Assim como teve bom senso com a criança, também vou ter bom senso com ele."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.