Ladrão mata turista em Caraguá

Grupo fazia churrasco quando foi surpreendido por bandidos; empresário da capital levou 4 tiros e está em UTI

Chico Siqueira, O Estadao de S.Paulo

14 de janeiro de 2008 | 00h00

Um turista foi assassinado e outro ficou gravemente ferido depois de reagirem a um assalto, na noite de sábado, a uma casa de veraneio no bairro Indaiá, em Caraguatatuba, litoral norte. O crime aconteceu quando os turistas participavam de um churrasco com vizinhos na varanda da casa, por volta das 20 horas, e foram surpreendidos pelos ladrões, que entraram pelo portão aberto.O escrevente Marcelo José Benatti, de 47 anos, morador de Jaboticabal, interior, foi baleado na cabeça e morreu a caminho do hospital. O empresário Arnaldo de Almeida Constaza Filho, de 40 anos, da capital, levou quatro tiros no abdome e, no fim da tarde de ontem, permanecia internado na UTI do Hospital Alvorada, em Jacareí, Vale do Paraíba. Os bandidos levaram três celulares, um relógio e uma quantia não revelada de dinheiro.No ataque de sábado à noite, depois de surpreenderem os participantes do churrasco, dois jovens armados com barras de metal dominaram dez pessoas e as levaram para um dos cômodos da casa. As vítimas, porém, reagiram e conseguiram dominar os dois jovens. Quando tentavam expulsá-los da casa, surgiu um terceiro bandido, que fez os disparos.O crime chocou os moradores de Jaboticabal, a 344 quilômetros da capital. O escrevente tinha ido a Caraguatatuba passar as férias, na residência de veraneio de um tio. "Ele sempre passava as férias lá, quando podia. Conhecia Caraguatatuba, mas não imaginava que não havia segurança. Estava cheio de planos e morre num dos melhores momentos de sua vida", contou Márcia Benatti Moraes, irmã da vítima. Segundo Márcia, as vítimas reagiram porque viram que os dois ladrões não estavam armados. "Eram dois moleques, com barras de ferro, mas eles (as vítimas) não sabiam que lá fora tinha um outro, armado com revólver. Deveriam ter segurado os dois e chamado a polícia, mas eles só queriam que os bandidos fossem embora dali." O escrevente deixa mulher e três filhos. Segundo parentes dele, Constaza estava passando o verão numa residência vizinha e foi convidado pelo escrevente para o churrasco.O delegado seccional assistente do litoral norte, Vanderlei Pagliarini de Almeida Filho, afirmou que o latrocínio foi a primeira ocorrência policial de gravidade desta temporada no litoral norte. Almeida disse não considerar que o verão esteja violento na região. "É um fato isolado. Pela avaliação do número e o nível de gravidade das ocorrências, esta não está sendo uma temporada violenta." Segundo ele, o reforço nas Polícias Civil e Militar está refletindo positivamente sobre a criminalidade.Mas a enfermeira Eliene de Andrade - que passava perto do local do assassinato, ouviu os tiros e chamou a polícia - disse que ocorrem "pelo menos quatro assaltos por dia" no bairro Indaiá. Ela vive no local há 11 anos e disse que já tentaram arrombar sua casa três vezes - numa delas, os ladrões conseguiram entrar e levaram tudo.O turista paulistano José Carlos (nome fictício) teve a casa de veraneio em Caraguatatuba assaltada no ano passado. "Aqui os ladrões preferem atacar uma casa cheia de gente. Eles sabem que ninguém de São Paulo está aqui com menos de R$ 400 no bolso."ASSALTO EM ILHABELANa tarde de sábado, um restaurante foi assaltado por três encapuzados, na Praia do Jabaquara, em Ilhabela. Segundo a Polícia Militar, os criminosos levaram R$ 4 mil e fugiram em um Palio roubado, atirando para o alto. O carro foi encontrado em seguida pela polícia, mas os bandidos continuam foragidos. COLABORARAM JOÃO CARLOS FARIA, ESPECIAL PARA O ESTADO, E NAIANA OSCAR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.