Ladrões cometeram outros 12 assaltos a prédios de luxo

Apontados pela polícia como responsáveis por assaltos a 12 prédios de luxo nas zonas sul e oeste da capital paulista - o último no mês passado, no Alto de Pinheiros, onde roubaram 7 dos 12 apartamentos de um mesmo edifício -, os 11 ladrões que invadiram o edifício Rio Araguaia, ontem, mantendo reféns até o raiar do dia desta sexta-feira, são conhecidos da polícia e da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem). Cinco integrantes da quadrilha já foram reconhecidos por moradores de outros dois edifícios, que viram os ladrões pela televisão. Três são menores: os irmãos M.L.S.S., de 16 anos, M.L.S.S, de 17, e E.G.S., de 17, com passagens pela Febem.Os demais se identificaram como Cleverson Brandão, de 18, que chefiava o grupo; Ricardo Torres dos Santos, de 18; Agnaldo Dias Almeida, de 28; José Nadjael Mendes de Oliveira, de 22; Elisandro França Rodrigues, de 20; Mauro César Barbosa da Silva, de 25; José Luiz da Silva, de 19; e Ilton Lespes da Silva, de 33.José Nadjael e Elisandro cumpriram condenação por tráfico de drogas, assaltos e furtos. Mauro César é fugitivo da Colônia Penal Agrícola de Bauru. O delegado Valter Sérgio de Abreu, do Departamento de Investigações Contra o Crime Organizado (Deic), autuou os maiores de idade em flagrante por roubo de carros, valores dos apartamentos, corrupção de menores e formação de quadrilha. Todos estavam sem documentos.CrueldadeEm suas ações, o bando costuma usar de "extrema violência" contra as vítimas. Drogados, chegaram uma vez a fazer roleta russa (colocar uma bala no tambor da arma, rodar e acionar o gatilho com o cano apontado para a cabeça da pessoa) com um jovem de 20 anos.Em depoimento a investigadores, três dos ladrões contaram o modo de agir do grupo. Eles disseram que escolhem os prédios pela quantidade de carros importados que entram nas garagens e pela "beleza". Para conseguirem chegar à parte interna e assaltar, desenvolveram várias táticas.Podem tanto entrar na garagem depois das 21 horas, com carros importados roubados, seguindo algum morador na volta para casa, quanto dominar porteiros e seguranças assim que os portões são abertos. Em alguns edifícios, pulam os muros pelos dos fundos, ignorando os sistemas de alarme.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.