Ladrões de BC de Fortaleza condenados a 53 anos de prisão

Juiz determina reclusão em regime fechado a Antônio Bezerra e Marcos de França

Agencia Estado

02 Julho 2007 | 10h04

O juiz Danilo Fontenelle Sampaio, da 11ª Vara da Justiça Federal, concedeu as primeiras sentenças aos réus do processo sobre o furto milionário ao Banco Central (BC), de Fortaleza, ocorrido em agosto de 2005. As maiores penas foram dadas ao cearense Antônio Edmar Bezerra e ao paulista Marcos de França, condenados cada um a 53 anos de reclusão em regime fechado. O também paulista Leonel Moreira Martins foi absolvido por falta de provas. E Anselmo Oliveira Magalhães (conhecido como "Cebola") teve a punibilidade extinta depois de ter sido assassinado. Outros 22 acusados, entre eles, os cearenses Antônio Jussivan Alves dos Santos, vulgo "Alemão", e Neto Laurindo, apontados como chefes da quadrilha, ainda aguardam sentença. Alemão está foragido e Neto Laurindo foi preso em setembro do ano passado quando liderava outra quadrilha que tentava furtar agências bancárias no Rio Grande Sul. O furto ao Banco Central ocorreu em agosto de 2005. Foram levados R$ 164,7 milhões através de um túnel escavado a partir de uma empresa de fachada montada pela quadrilha a cem metros do BC. Até agora, menos de 20% do dinheiro foram recuperados pela polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.