Ladrões de carro somem após perseguição cinematográfica em SP

Dois assaltantes desapareceram hoje depois de uma ação cinematográfica que começou em Pinheiros e cruzou bairros nobres da capital. Ao todo, quatro carros importados foram roubados e abandonados. Na Rua Joaquim Eugênio de Lima, próximo da Avenida Paulista, a dupla trocou tiros com a polícia e baleou um soldado. A confusão começou por volta das 23h30 de ontem. Um casal estava num restaurante da Rua João Moura. Vinham de lugares diferentes. Ela, num Audi. Ele, numa Pajero. Pararam no mesmo estacionamento. Ao terminar o jantar, encontraram o vigia do estacionamento com a cabeça sangrando. Os dois carros tinham sido roubados. Os veículos tinham bloqueadores via satélite, que foram acionados. Nessa altura, a Pajero já havia sido abandonada na Avenida Paulista. Os dois criminosos desciam no Audi as ruas dos Jardins perseguidos por duas motos da polícia. O motor do Audi foi cortado pelo sistema por satélite na esquina das Ruas Joaquim Eugênio de Lima e Fernão Cardim. Os assaltantes desceram atirando. O soldado Jeferson Marin, de 31 anos, foi baleado, mas não corre risco. Uma artista plástica de 53 anos descia a rua num Xsara Picasso. Os criminosos apontavam a arma. "Sai, sai, sai", gritaram. Às 0h15, o Xsara da artista foi abandonado na garagem de um médico de 32 anos, que chegava em casa, na Rua Diogo de Faria na Vila Mariana, e rodou por meia hora em seu Mitsubishi com os criminosos. Foi libertado no Estádio do Pacaembu. A dupla sumiu.

Agencia Estado,

07 Junho 2003 | 17h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.