Ladrões de joalheria são de facção

A quadrilha que assaltou joalherias dos shoppings Ibirapuera e Pátio Paulista é ligada ao Primeiro Comando da Capital (PCC) e suspeita de outro crime: o roubo a uma casa lotérica no centro, há duas semanas. Na ação, os ladrões balearam uma mulher no rosto. Cinco integrantes do bando estão presos. Um está foragido, mas foi identificado. Todos têm antecedentes criminais.Segundo o delegado Edison Santi, da Delegacia de Roubos de Jóias do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), dos cinco presos, quatro foram reconhecidos. São eles Paulo Victor da Silva, o Gago, de 23 anos, Flaviano José Marinho Falcão, o Bispo, de 30, Flávio José da Silva, o Xuxa, de 24, e Rafael Carvalho Soares, o Rafa, de 21. Fábio Ricardo Pescantini Pereira da Silva, o Lero, de 30, não foi reconhecido. Mas deixou o celular cair na fuga do Shopping Ibirapuera, onde ele e o bando roubaram 60 relógios avaliados em R$ 200 mil. O aparelho, apreendido, tinha fotos dele. O parceiro José Geraldo da Silva Júnior, de 24, está foragido.Gago liderava o grupo e era monitorado por Santi desde 13 de abril, quando o bando roubou 26 relógios, avaliados em R$ 100 mil, da joalheria The Graces do Shopping Paulista. Na ação, Xuxa estava fantasiado de palhaço. Os cinco foram detidos na manhã de anteontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.