Ladrões fazem treinador de seleção de rúgbi refém em casa do Alto da Lapa

Uma mãe e dois filhos - um deles, Maurício Carli, treinador da seleção brasileira de rúgbi - passaram, ontem, por uma hora de terror, durante assalto em uma casa de alto padrão no Alto da Lapa, na zona oeste da capital. Os três ficaram em poder de quatro ladrões armados. A família foi rendida um pouco após as 6 horas, quando uma das vítimas saía pela garagem, para fazer a sua costumeira caminhada matinal. A vizinha, que costumava caminhar junto, estranhou a movimentação na casa e foi até uma base da Polícia Militar, localizada a poucos metros do local do assalto.Os policiais cercaram o imóvel. Os quatro bandidos que estavam no interior da residência fugiram, pulando o muro de uma casa vizinha, e foram pegos logo em seguida. Um menino e uma menina, ambos de 15 anos, que faziam cobertura do lado de fora, também foram detidos pela polícia. Eles estavam em um Golf, roubado de madrugada, que seria usado na fuga. Foram presos Neivan dos Santos França, de 18 anos; Márcio Gleide da Silva, de 28 anos; José Roberto Martins, de 24 anos; e Ricardo Peres Magalhães, de 22 anos. Um dos ladrões conseguiu fugir e não foi identificado. Com o bando, foram apreendidos dólares, reais, um aparelho de som iPod, tênis de marca conhecida e relógios de grifes famosas, que tinham sido roubados da família, além de um revólver calibre 38. Ninguém ficou ferido.Segundo Carli, ele e a irmã ouviram um grito da mãe quando ela saía para caminhar. "Quando a gente desceu para ver o que era, os bandidos estavam dentro de casa", disse. Carli ficou rendido com a família na sala, enquanto os criminosos vasculhavam os quartos em busca de objetos de valor."Foi horrível. Há quase dois anos, também fomos assaltados. Os bandidos amarraram minha mãe com o fio de um abajur, e ela foi trancada dentro de um dos armários", contou o treinador, que pretende mudar de casa por conta dos assaltos.A soldado Eliana Lima explicou que os ladrões já tinham enchido duas malas com objetos da casa, mas resolveram fugir e saíram levando apenas alguns objetos.

Camilla Haddad, O Estadao de S.Paulo

07 de fevereiro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.