Ladrões invadem IAC e roubam pesquisas

O Instituo Agronômico de Campinas (IAC), uma das principais instituições de pesquisas agrícolas da América do Sul, foi invadido por ladrões nesta madrugada. Os invasores arrombaram o Centro de Leguminosas, de onde levaram dois computadores. Na máquina estavam arquivados dez anos de pesquisas sobre novas variedades de soja. Até o início da tarde, a polícia não tinha pistas dos criminosos. Os ladrões também depredaram as instalações do Centro, que fica na Fazenda Santa Eliza, pertencente ao governo do Estado. Eles picharam as paredes, jogaram equipamentos no chão e derramaram álcool pelas salas. Segundo a polícia, os ladrões provavelmente pretendiam incendiar o local, mas desistiram ou não tiveram tempo para isso.Anotações importantes feitas pelos pesquisadores foram rasgadas. O carro de um funcionário, que estava estacionado em frente a unidade, foi empurrado para dentro de uma lagoa. Apesar de ter 700 hectares de área, a fazenda conta com apenas um funcionário para fazer a seguranaça. Ele deve ser ouvido pela polícia ainda hoje."Ainda não avaliamos a extensão dos prejuízos", disse o diretor do Centro, Cândido Ricardo Bastos. Ele acredita, porém, que muitos dados importantes sobre pesquisas que estavam em andamento foram perdidos. "Dificilmente vamos conseguir recuperar tudo", afirmou.O diretor acredita que os ladrões também tenham levado disquetes onde estavam armazenadas as cópias das pesquisas. "Só poderemos avaliar os prejuízos científicos depois de fazermos um levantamento do que sobrou", explica. "Com certeza, muitas anotações não poderão ser recuperadas".A fazenda Santa Eliza abriga centros de pesquisas sobre leguminosas, oleogenóseas, cereais, e genética. Os cientistas que atuam no IAC são responsáveis pela maior parte das pesquisas que resultaram em novas variedades de produtos importantes para a economia nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.