Ladrões invadem mais um prédio de alto padrão em SP

Mais um condomínio de alto padrão foi invadido por ladrões na capital paulista. O roubo dessa vez foi no prédio de número 261 da Rua Caconde, Jardim Paulista, zona sul. O assalto aconteceu por volta das 22h30 de sábado. Mas até o fim da tarde de domingo, nenhuma vítima havia comparecido ao 78º Distrito Policial (Jardins) para prestar queixa. Uma moradora, no entanto, contou ao Estado que o edifício foi invadido por quatro assaltantes. Segundo ela, os criminosos provavelmente entraram pelos fundos do prédio, na Rua Estados Unidos. Eles renderam funcionários e tiveram acesso ao hall do elevador. Além dos funcionários do edifício, alguns moradores também foram feitos reféns. O prédio tem onze andares, com um apartamento por andar. Os criminosos entraram pelo menos no 111, o último, onde recolheram jóias, dinheiro e outros objetos de valor, como equipamentos eletroeletrônicos. Como ninguém apareceu para prestar queixa na delegacia, a polícia não sabia quantos apartamentos foram invadidos. A Secretaria da Segurança Pública foi informada sobre o assalto. A moradora acrescentou que várias pessoas foram feitas reféns. "Pelo número de reféns, acredito que outros apartamentos tenham sido invadidos. Eu não estava em casa na hora do assalto. Soube depois que muitas viaturas da polícia cercaram o prédio", contou a moradora, que pediu para não ter seu nome divulgado. Primeiro caso Este foi o segundo roubo a condomínio de luxo na capital em menos de um mês. No dia 16 de janeiro, 12 assaltantes fizeram arrastão num prédio de alto padrão da Rua Natingui, em Pinheiros, zona oeste. Para entrar no edifício, o bando clonou um CrossFox preto igual ao de uma moradora e também o controle remoto da garagem. Os ladrões fizeram 30 reféns. As vítimas ficaram três horas sob a mira das armas dos criminosos. Em alguns apartamentos invadidos, os ladrões usaram o banheiro e abriram a geladeira em busca de alimentos. Os assaltantes roubaram jóias, relógios, dinheiro, telefones celulares e produtos eletroeletrônicos de dez dos 16 apartamentos. O bando demonstrou organização: quatro líderes coordenaram as ações. Eles estavam bem vestidos e passavam as instruções para os parceiros. Os criminosos tinham informações dos moradores e há suspeitas de que foram ajudados por alguém que trabalhou ou trabalha no prédio.

Agencia Estado,

05 Fevereiro 2007 | 07h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.