Ladrões levam R$ 1,5 mi de cooperativa agrícola

Sete homens armados e encapuzados renderam funcionários e levaram mais de R$ 1,5 milhão em fertilizantes, fungicidas e equipamentos de uma cooperativa agrícola, em Taquarituba, no sudoeste de São Paulo.A Polícia prendeu três suspeitos, entre eles um ex-policial militar e um investigador da Polícia Civil. O valor do roubo, equivalente ao preço de 50 carros médios, é o maior já realizado em áreas agrícolas na região.Três dos ladrões escalaram o muro que cerca a Cooperativa Regional Agropecuária de Taquarituba (Coreata) e renderam dois vigias e o porteiro para possibilitar a entrada dos demais.Segundo os reféns, eles tinham armas de grande potência, como fuzis e metralhadoras. Os bandidos desligaram o sistema de alarme e prenderam os funcionários em um galpão. O roubo durou mais de três horas. Os ladrões encostaram uma carreta no pátio para carregar os produtos.Eles visavam principalmente aos fungicidas usados para combater a ferrugem da soja, um dos mais caros do mercado. Um galão de 20 litros custa R$ 2,4 mil. Na fuga, levaram também dois veículos da cooperativa, uma picape Saveiro e um automóvel Gol. A Polícia Militar encontrou os veículos abandonados a 20 quilômetros.Segundo o gerente-geral da cooperativa, Antonio Renato Giansanté, os bandidos conheciam o sistema de alarme e o valor dos insumos, pois só levaram os produtos mais caros. Ele disse que, em razão do elevado número de roubos, as seguradoras deixaram, há dois anos, de segurar defensivos agrícolas.A Polícia Militar deteve, no mesmo dia do furto, um ex-PM suspeito de ser integrante da quadrilha. Ele havia sido expulso há um mês por má conduta e estava em um veículo Vectra furtado.Antes do flagrante, os policiais seguiram o Vectra e prenderam também os dois ocupantes de um veículo Ka, que aguardavam o ex-policial. Um deles era investigador da Polícia Civil, o outro, um piloto de helicóptero. Os nomes não foram divulgados. No carro, foram encontrados seis aparelhos de celular, duas pistolas semi-automáticas e um rádio-comunicador semelhante ao que era usado pelos bandidos durante o roubo.

Agencia Estado,

20 de setembro de 2004 | 15h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.