Ladrões levam R$ 80 mil dos padres mas pedem perdão

Dez homens roubaram cerca de 80 mil em reais de um mosteiro, em Guaratinguetá, no Vale do Paraíba, na manhã de ontem. De acordo com o delegado Fábio Germano Figueiredo Cabett, responsável pelas investigações, não houve agressões nemameaças. ?Pelo contrário, os religiosos contaram que durante o assalto, os ladrões pediam perdão pelo ato por várias vezes.Ficaram pedindo desculpas o tempo todo?. O Mosteiro de Belém, como o local é conhecido, fica na zona rural de Guaratinguetá e abriga cerca de 60 religiosos entre padres e freiras. Por volta das 5h30 da manhã a quadrilha chegou ao local em seis veículos. Antes de abordar os religiosos, os bandidos cortaram os fios de telefone e furaram os pneus dos carros dos padres para impedir que alguém tentasse fugir. Um padre foi feito refém e obrigado a levar os ladrões até a sala onde o dinheiro do mosteiro era guardado. No local havia 13 mil reais em dinheiro e 17 mil euros em dois cheques do banco Atlântico de Portugal, além de duas notas de 500 euros. Os outros religiosos que estavam no mosteiro apenas presenciaram o crime. Segundo a polícia civil, foram levados cerca de R$80 mil. Na fuga a quadrilha perdeu uma bolsa, roupas e capuzes. O crime sófoi comunicado à polícia cinco horas depois de ocorrido. Os padres tiveram dificuldade para se comunicar já que ficaram sem comunicação e sem as chaves das portas principais, que foram levadas pelos bandidos.Dos assaltantes, sete estavam encapuzados. Um dos ladrões foi reconhecido por uma freira. ?Ela disse que uma das pessoasnão era estranha e já havia freqüentado várias missas aos domingos no mosteiro?. Na manhã de hoje alguns sacerdotes foram até a delegacia para verificar o álbum de fotos de suspeitos da Polícia Civil.Nenhum dos suspeitos foi reconhecido. Policiais voltaram ao mosteiro na tentativa de localizar novas pistas da quadrilha. Até o final da tarde de ontem ninguém havia sido preso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.