Ladrões presos em flagrante ao furtar loja de celulares

Um bando, com cerca de nove marginais, invadiu, no início da madrugada desta segunda-feira, uma loja de aparelhos celulares e outros equipamentos eletrônicos, na Rua Joaquim Floriano, 53, junto à Praça David Gastão Liberal Pinto, no Itaim Bibi, zona sul da capital paulista. O auto em que quatro deles fugiam foi perseguido por policiais militares e colidiu com outro veículo. Dois ladrões escaparam, mas dois outros foram presos e autuados em flagrante no 15º DP-Itaim Bibi. Parte do material furtado foi recuperada. José Raimundo da Silva Filho e Francisco Raimundo Mineiro Feitosa Rodrigues, ambos de 18 anos, estavam no auto Fiat Brava roubado que colidiu com uma caminhonete Saveiro, na junção das avenidas São Gabriel e 9 de Julho. Testemunhas contam que além do Brava, que foi perseguido por uma guarnição da 3ª Cia do 23º BPMM, os assaltantes utilizaram também um auto Gol, ainda não localizado pela polícia.Pouco depois de 23h00, o grupo tentou arrombar o cadeado da porta de aço da loja. O alarme foi acionado e eles fugiram, mas retornaram pouco depois. Conseguindo abrir a porta, rapidamente apanharam equipamentos e fugiram nos dois veículos. Até o momento não foi apurado montante do material furtado. No carro apreendido foram encontrados 16 aparelhos celulares, três equipamentos de MP3 e duas CPUs e dois monitores. Havia também seis caixas vazias. A polícia não sabe se os aparelhos foram retirados das caixas e levados pelos criminosos que fugiram ou se elas já estavam vazias quando os ladrões as apanharam na loja. Resta ainda saber o que foi levado pelo restante da quadrilha.Durante a fuga, ao cruzar com a guarnição militar o marginal que dirigia o Brava acelerou o veículo mas, poucos metros adiante esse auto colidiu com a caminhonete ocupada por quatro pessoas que retornavam de um culto evangélico. Gilmar Brito da Silva, de 22 anos, e um adolescente de 17, que estava na caçamba, sofreram ferimentos e foram socorridos no Hospital das Clínicas. Como havia sangue nas caixas encontradas no Brava há a possibilidade de que pelo menos um dos fugitivos esteja ferido. O proprietário do estabelecimento, o comerciante argentino Gustavo Daniel Blank, de 45 anos, fará levantamento apara saber o que foi levado pelos ladrões. Ele contou à polícia que, em três meses, esta é a terceira vez em que ladrões invadem sua loja.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.