Ladrões que balearam PMs mantêm reféns em ônibus

Pelo menos 30 pessoas são mantidas como reféns por dois assaltantes na Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto, Km 69, no bairro do Medeiros, em Jundiaí. Elas estavam em um ônibus que fazia excursão para o Paraguai, que saiu na tarde desta quinta-feira da cidade de Bragança Paulista. O motorista, Célio Martins de Oliveira, levou um tiro do grupo de bandidos. Ele está na sala de cirurgia do Hospital São Vicente de Paulo, no Centro de Jundiaí. O coronel Osny, do 11.º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPMI), junto com o tenente Marlon Níglia, da Força Tática, estão negociando com os três sequestradores. As vítimas estão aterrorizadas. Um dos passageiros, Cláudio Ferreira Brito, pulo pela janela do ônibus e saiu ferido. Segundo o cabo Prado, do Corpo de Bombeiros, o rapaz passa bem, mas teve de ser medicado também no Hospital São Vicente. No início a Polícia acreditava que os bandidos eram os mesmos que roubaram uma chácara na região do Hopi Hari, em Vinhedo. Nessa ocorrência, o policial militar Luiz foi morto pelos assaltantes. O soldado Siqueira está internado em estado gravíssimo. O coronel Osny descarta a possibilidade de serem os mesmos bandidos que atuaram em Vinhedo. Um suspeito foi baleado e também está na Santa Casa de Vinhedo. O coronel Osny informou que uma passageira, de nome Jussara, está sendo a intermediária entre os sequestradores com a Polícia. É ela quem transmite as exigências dos assaltantes para o policial Níglia. Segundo a Polícia, os bandidos querem as presenças de parentes no local, próximo da fábrica da Coca-Cola.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.