Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ladrões roubam peças sacras de igreja em Mariana

A Polícia de Minas Gerais ainda não tem pistas dos assaltantes que roubaram várias peças sacras da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, em Mariana, a 115 quilômetros da capital mineira. O templo, tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), foi invadido na madrugada desta quinta-feira.Os ladrões levaram dois tocheiros em madeira, folheados a ouro, que pesam cerca de 45 quilos cada e medem 1,97 metro de altura. Foram roubados também seis castiçais em madeira entalhada e uma base de crucifixo, também em madeira. Todas as peças foram esculpidas no fim do século XVIII.A Polícia Civil de Mariana ainda não tem suspeitos do furto. A igreja foi interditada, e as peças estão sendo procuradas também pela Polícia Federal e Interpol, a Polícia Internacional. De acordo com o pároco da igreja, José Julião da Silva, este tipo de crime costuma contar com a cumplicidade de colecionadores do Rio de Janeiro e de São Paulo, a quem é destinado o produto dos roubos.Segundo o tenente Paulo Henrique Cardoso, comandante da Polícia Militar de Mariana, a perícia comprovou que não havia sinal de arrombamento externo na igreja. A avaliação do militar é que os ladrões se esconderam no templo durante a realização da última missa e efetuaram o furto durante a madrugada. "Infelizmente essas igrejas são muito inseguras nas suas estruturas físicas", salienta o tenente, que acredita que os crimes contra o patrimônio histórico de Minas Gerais só serão evitados com uma vigilância mais intensa. "É preciso que as igrejas coloquem vigias 24 horas por dia. Para a PM fica difícil fazer esse patrulhamento. Não há efetivo", justifica.O padre José Julião cobra a instalação de um sistema de alarme na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, construída em 1752, e que abriga obras do mestre do barroco mineiro, Manoel da Costa Athayde. "As entradas das igrejas da região também necessitam de uma iluminação melhor. São muito escuras", reclama. Esta foi a segunda igreja da Arquidiocese de Mariana assaltada num período de seis meses. A igreja de Nossa Senhora de Nazaré, localizada no distrito de Santa Rita Durão, foi arrombada e foram levadas três imagens sacras, também do século XVIII.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.