Ladrões são presos, mas parte de dinheiro some

Parte do dinheiro - R$ 43.848,00 - que estava sendo roubado da agência do Banespa, na avenida Rio das Pedras, no Jardim Aricanduva, zona leste de São Paulo, na sexta-feira, quando a Polícia Militar invadiu o banco e prendeu os bandidos desapareceu. A inspetoria do Banespa comunicou à Polícia Civil que dos R$ 54.040,00 pegos pelos criminosos apenas R$ 10.192,00 foram restituídos ao banco.O depoimento do funcionário F.M.S., que tinha sido rendido pelos ladrões, revelou o sumiço do dinheiro. Ele afirmou que os bandidos - identificados como William Melo Oliveira, Luciano Moraes Oliveira e Leonel Moreira Martins - utilizaram sua bolsa para guardar o dinheiro. Eram R$ 54.040,00.O funcionário pediu para retirar da mala dois holerites e um marcador de texto. Foi autorizado, mas um dos ladrões avisou: "Não mexe no meu dinheiro." Em seguida, os bandidos perceberam a movimentação da Polícia Militar. A agência foi cercada e o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), acionado.De acordo com F.M.S., os bandidos ficaram agitados e exigiram a chave da porta dos fundos da agência para tentar fugir. O funcionário seguiu para o andar de cima do banco e ficou escondido no banheiro. Minutos mais tarde, foi resgatado por policiais do Gate, que tinham invadido a agência.O funcionário revelou à polícia que viu sua mala na mesma mesa em que foi abandonada pelos bandidos. "No entanto, estava deitada e vazia", afirmou. O depoimento dos próprios assaltantes também levantou dúvidas sobre o paradeiro do dinheiro. Martins declarou que quem pode esclarecer onde está o dinheiro é a polícia militar e os funcionários do banco. "Saí da agência algemado", disse. William Oliveira foi mais direto. Acredita que os policiais pegaram o dinheiro." O inquérito que será enviado nesta quarta-feira ao Departamento de Inquéritos Policiais e Polícia Judiciária (Dipo) mostra que além dos funcionários e dos três ladrões, apenas membros do Gate, considerados a elite da Polícia Militar de São Paulo, ingressaram na agência. Os próprios PMs do 19º Batalhão, responsável pelo policiamento da área, disseram que tiveram contato com os ladrões apenas do lado de fora do banco. Eles teriam apenas cercado o local.O roubo foi registrado no Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). Nenhum membro do Gate esteve no Deic para apresentar a ocorrência e detalhar a ação. O Ministério Público Estadual (MPE) deve determinar o prosseguimento da investigação para que seja apurado o que ocorreu dentro da agência bancária.A major Maria Aparecida de Carvalho Yamamoto, do Setor de Comunicação Social da PM, disse que o comando da corporação não foi informado sobre o sumiço do dinheiro e só irá pronunciar-se após apuração pela corregedoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.