Ladrões seqüestram avião e piloto em Campinas

Três homens armados renderam um instrutor de vôo e seqüestraram um avião no Aeroclube do Campo dos Amarais, em Campinas, hoje de manhã. O piloto e instrutor Alex Wolf, de 25 anos, aguardava um aluno para iniciar uma aula de vôo quando foi surpreendido pelos três homens, que anunciaram o seqüestro. Wolf foi feito refém pelos seqüestradores. O piloto e os homens tiraram o avião, um monomotor Corisco, prefixo PT-NEV, branco e azul claro, de dentro do hangar. Em seguida, os seqüestradores entraram na aeronave e obrigaram Wolf a seguir com eles. Segundo o diretor do aeroclube, Marcos Pettená, o avião estava com meio tanque de combustível, suficiente para voar por cerca de duas horas. Até às 11h, não havia notícias do paradeiro do piloto e do monomotor. Pettená explicou que todas as autoridades e órgãos de aeronáutica brasileiros foram avisados do seqüestro. "Temos que esperar", lamentou. Ele não confirmou as informações de que o avião tivesse sobrevoado o norte do Paraná. "É especulação, ele pode estar em Minas Gerais. Não há nada confirmado", alegou. Mas o diretor reconheceu que o avião deve ter pousado em algum lugar, já que não tinha combustível suficiente para mais que duas horas de vôo. Wolf mora em Campinas. Segundo Pettená, a família foi avisada e se dirigia para o aeroclube para aguardar notícias. "Não temos como saber e nem mais o que fazer, avisamos todas as autoridades aeronáuticas do País e temos que aguardar a localização do avião e do piloto", alegou o diretor quando questionado se o monomotor poderia ter sido rastreado. Ele afirmou que desconhecia detalhes do seqüestro e não tinha informações sobre os seqüestradores. Segundo Pettená, o avião pertence ao aeroclube, é usado para instrução e tem entre 15 e 20 anos. Ele contou que Wolf foi aluno do aeroclube e, depois de formado, passou a instrutor de vôo. "Faz tempo que ele está conosco", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.