Lago da Aclimação terá água até sábado

Espaço precisará de semanas para ser enchido; segundo os técnicos, a pressão da água rompeu vertedouro

Mônica Cardoso e Marcela Spinosa, O Estadao de S.Paulo

26 Fevereiro 2009 | 00h00

O processo de enchimento do lago do Parque da Aclimação deve começar até sábado. Para isso, será necessário o conserto no vertedouro - sistema hidráulico que regula o nível do lago. Dois tubos de concreto serão içados por um guindaste e colocados na estrutura, cujo conjunto metálico foi rompido pela pressão da água, segundo o laudo preliminar dos técnicos que procuram as causas do acidente. O lago, que se esvaziou em menos de uma hora, precisará de algumas semanas para ser enchido, dependendo da quantidade de chuva e da vazão da fonte. A contratação de emergência da Épura Engenharia para apurar a causa do acidente e fazer o reparo custou inicialmente R$ 160 mil. Se o processo precisar ser adiado, o preço aumentará."A razão do acidente foi a forte chuva (que provocou aumento da pressão na água do Córrego Pedra Azul, que abastece o lago). Tivemos na região um índice pluviométrico de 50,4 milímetros, o que é algo inédito", afirmou o prefeito Gilberto Kassab em visita ao parque. "Esse acidente no vertedouro não tem relação com a falta de manutenção. Ela era rotineira e visual. Vocês podem ver que ele está em boas condições." Ontem, no entanto, o prefeito não soube dizer quando foi feita a última vistoria no equipamento, que, segundo ele, tem 40 anos.As obras de melhoria no lago são feitas há cerca de um ano, segundo a Prefeitura. A primeira e a segunda etapas - que incluem a despoluição do Córrego Pedra Azul e a retomada da circulação de água - já foram concluídas. A terceira etapa, que entrará em fase de licitação, prevê a retirada do lodo e a construção de um novo vertedouro. Após a licitação, a obra deve ser concluída até o fim do ano. Segundo o prefeito, o lago não precisará ser esvaziado novamente para a retirada do lodo, o que vai aumentar a capacidade de 70 milhões para 110 milhões de litros. Ele também negou que a construção do novo vertedouro esteja relacionada com a quebra do equipamento.Para o secretário do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, o acidente no lago foi um desastre ambiental. A secretaria não dispunha de uma estimativa do número de animais que vivia no lago. "Depois da recuperação completa, traremos as aves e faremos a reposição dos peixes'', diz. O parque, que ficou fechado ontem, reabrirá hoje, às 6 horas. Em nota, o Ministério Público de São Paulo informou que há mais de 15 anos acompanha as condições de manutenção e poluição do lago. Um inquérito civil instaurado em 1993 é tocado pela Promotoria de Justiça e Meio Ambiente. O Ministério Público não divulgou a razão da abertura do inquérito. O promotor Marcos Lúcio Barreto informou que aguarda a conclusão do laudo encomendado pela Prefeitura para se manifestar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.